Colóquio Eduardo Prado Coelho

Posted: November 25, 2012 in Uncategorized

O edifício da alegria: O pensamento de Eduardo Prado Coelho

Colóquio sobre Eduardo Prado Coelho Data: 15 e 16 de Novembro de 2012 | Local: Fundação Calouste Gulbenkian

Organização: Centro de Estudos sobre o Imaginário Literário / Observatório Político

Pertenço a uma geração para quem o modo de amar, as modalidades do desejo, as formas de viajar, os momentos de prazer, tudo isto se deixava modelar pelos versos dos poetas, as suas histórias pessoais, as imagens do cinema, os traços e as cores da pintura, as árias de ópera ou as canções de Brel.

Esta passagem do primeiro volume de Tudo o que não escrevi, sintetiza e dá testemunho e de certa forma, elucida a actividade pública de Eduardo Prado Coelho ao longo da sua vida.

Considerado por Eduardo Lourenço, seu amigo e interlocutor privilegiado, como “o melhor de todos nós” pela capacidade de integrar os diversos saberes, pela atenção à evolução do pensamento nas suas múltiplas disciplinas e pela alegria com que partilhava e problematizava o mundo em devir, Eduardo Prado Coelho foi um caso raro no meio intelectual português, colocando à disposição de muitos o que era conhecido por poucos, utilizando a imprensa.

A intervenção pública de Eduardo Prado Coelho representou uma deliberada afirmação política, em que o caminho era claramente apontado, ou seja, a palavra de Eduardo Prado Coelho, fruto do exercício de um poder de cidadania, analisava e transformava o seu próprio texto, amplificando-o, dirigindo-o ao seu público leitor.

Este colóquio pretende ser um momento de encontro e reflexão sobre os temas que Eduardo Prado Coelho problematizou, reflectidos em cada um dos painéis, que tomam de empréstimo o título de algumas das suas crónicas: a crítica e a sua possibilidade, a contaminação do real pela filosofia, as artes e a contemporaneidade.

Comments are closed.