Paradoxos da instituição literária: ideologia, política, criação

12 horas/ 6 sessões: 25 de Março, 8, 15, 22, 29 de Abril e 6 de Maio

2010


Organização:

Professora Doutora Silvina Rodrigues Lopes, Doutora Golgona Anghel

Inscrições: 10(mínimo), 50 (máximo)

60 euros (geral), 25 euros (estudantes da FCSH)

Contactos: Secretariado do Departamento de Estudos Portugueses

D. Aldina Santos: dina@fcsh.unl.pt

Tel: 217908300, ext. 1204

PROGRAMA

  1. João Pedro Cachopo (CESEM/FCSH – Universidade Nova de Lisboa), 25 de Março – Adorno

“Pensamento e literalidade. Notas adornianas a partir de Kafka, Beckett, et al.

2. Nuno Nabais (CFCUL – Universidade de Lisboa), 8 de Abril – Deleuze

“A Literatura de menos. Deleuze”

3. Silvina Rodrigues Lopes (FCSH – Universidade Nova de Lisboa), 15 de Abril – Derrida

“Talvez: a literatura. Derrida”

4. Carlos Vidal (FBAUL – Universidade de Lisboa), 22 de Abril – Badiou

“Badiou e a Literatura”

5. Maria-Benedita Basto (Paris IV Sorbonne), 29 de Abril, Rancière

“Literatura e política em Jacques Rancière: reconfigurações da partilha, práticas da igualdade”

6. Golgona Anghel (FCSH – Universidade Nova de Lisboa), 6 de Maio – Rancière e Deleuze

“A lição do aluno. Rancière e Deleuze”

João Pedro Cachopo é musicólogo. Tem-se interessado por questões de filosofia contemporânea e estética. Redige actualmente, na FCSH-UNL, uma dissertação de doutoramento sobre a estética de Theodor W. Adorno subordinada ao tema: Verdade e enigma no pensamento estético de Adorno. Membro integrado do Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical da Universidade Nova de Lisboa.

Nuno Nabais é licenciado em Filosofia pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, mestre em Filosofia Contemporânea pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e doutorado em Filosofia Contemporânea pela Universidade de Lisboa. É Professor Auxiliar do Departamento de Filosofia da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa desde 1995. Membro do Centro de Filosofia da Ciência da Universidade de Lisboa.

Silvina Rodrigues Lopes é professora catedrática do departamento de Estudos Portugueses da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa onde ensina Teoria da Literatura e Literatura Portuguesa do século XX. Escreveu entre outros os seguintes livros: “A legitimação em literatura”, “Literatura, defesa do atrito”, “A anomalia poética”.

Carlos Vidal é licenciado em Artes Plásticas-Pintura pela Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa, em 1990. Equiparado a Mestre (na carreira docente), tendo realizado Provas de Aptidão Pedagógica e Capacidade Científica na Área de Pintura (Junho, 2001). Presentemente é Professor Assistente de Pintura e de Artes Plásticas na Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa. Desenvolve actividade profissional nas áreas de Artes Plásticas, Crítica e ensaísmo de arte. Expõe individual e colectivamente desde 1990.

Golgona Anghel é doutora em Literatura Portuguesa Contemporânea pela Universidade de Lisboa e Licenciada em Estudos Portugueses e Espanhóis pela mesma Universidade. Desenvolve a sua actividade de investigação em Estudos Literários, na FCSH da Universidade Nova de Lisboa, no âmbito de um projecto de pós-doutoramento apoiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia.

Maria-Benedita Basto ensina em Paris IV-Sorbonne e é investigadora associada da Escola dos Altos Estudos em Ciências Sociais de Paris, do Centro Écritures da Universidade de Metz e do Centro de Estudos Comparatistas da Universidade de Lisboa. O seu trabalho de investigação, no cruzamento de várias disciplinas, a teoria literária, a filosofia política, a história e mais recentemente o cinema interessa-se pelas relações entre escrita, identidade e memória, literatura e formas de subversão e emancipação, nomeadamente em contextos coloniais e pós-coloniais.